Após uma excelente recuperação, Álvaro Parente ficou a poucos segundos do pódio da corrida de resistência. Já Pedro Lamy, em estreia, teve de desistir.

Ao volante de um McLaren 650S, Álvaro Parente, Rob Bell e Côme Ledogar da Tekno Motorsports conseguiram terminar as 12 Horas de Bathurst, que disputaram esta fim de semana, no quinto lugar. A equipa que tinha vencido esta corrida em 2016 ainda conseguiu uma boa recuperação de vigésimo lugar na vigésima primeira volta para um quinto lugar final, graças precisamente à rapidez Parente. O trio terminou a uma volta dos vencedores e a vinte e seis segundos de um lugar no pódio. No final, o português, piloto oficial da marca britânica, diz que, não tivessem sentido problemas iniciais, que lhes custou quase quatro voltas de atraso, teria sido possível alcançar um lugar no pódio: “Foi pena aquele problema inicial com um sensor que começou a funcionar mal. A TEKNO Autosports esteve fantástica, o McLaren 650S estava muito rápido e nós, os pilotos, também estivemos muito fortes. Acredito que o nosso lugar era no pódio e a lutar pela vitória, mas por vezes as corridas são assim. Porém, fizemos uma recuperação brilhante e todos nós devemos estar orgulhosos do trabalho que desenvolvemos ao longo de todo o fim-de-semana. Mostrámos que este ano têm que voltar a contar connosco”, confessou o piloto, orgulhoso da sua prestação.

Outro português em prova, Pedro Lamy, que se estreou nesta prova australiana, não conseguiu terminar a corrida com o seu Mercedes. O piloto luso começou com um bom ritmo, mas um embate num muro deixo o carro desequilibrado e apesar dos esforços da equipa para manter o carro em prova, a cerca de uma hora do final, altura em que o chassis se partiu, foi obrigado a abandonar a corrida. Apesar do desfecho, Lamy acaba por fazer um balanço positivo: “Sabíamos que a prova ia ser difícil, mas também que tínhamos um carro competitivo, portanto contávamos com um melhor resultado. Contudo, foi uma ótima experiência. A pista é espetacular e a corrida foi muito exigente, um verdadeiro desafio. Foi um fim de semana de aprendizagem que muito me agradou.  Mereceu a pena voltar à Austrália para participar nesta prova e espero ter a oportunidade de voltar a correr aqui nos próximos anos.”.

A prova foi ganha pelo Maranello Motorsport Ferrari 488 de Toni Vilander, Jamie Whincup e Craig Lowndes.

Assine Já

Edição nº 1441
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes