O diretor do Grupo VW, Bernhard Gobmeier, entende que a Fórmula 1 está num caminho perigoso devido à escalada de custos que as equipas enfrentam.

O Grupo VW, que estuda a possibilidade de entrar na F1 através da Porsche, torce o nariz ao atual estado financeiro do “grande circo”. O diretor do Grupo alemão, Bernhard Gobmeier, declarou mesmo que "a Fórmula 1 está num caminho perigoso. Está muito dispendiosa. A maioria das equipas, com exceção das quatro grandes, têm problemas financeiros. Os próprios circuitos também não conseguem pagar aquilo que é pedido”.

Gobmeier aponta o exemplo da Mercedes que “tem 1500 pessoas a trabalhar no projeto da F1 e isto já sem considerar os fornecedores. Ao todo, teremos provavelmente cerca de duas mil pessoas [a trabalhar] em dois carros. E é preciso não esquecer como são altos os salários em Inglaterra e caros os materiais”.

No entender de Gobmeier, os americanos têm vindo a fazer um melhor trabalho na contenção dos custos do que os europeus, no desporto.

Este responsável lembra ainda outra realidade: “O número de patrocinadores tem vindo a diminuir, tal como o de espectadores. Ao mesmo tempo, os custos aumentam. Algo não bate certo. as corridas têm de ser mais espetaculares”.

Assine Já

Edição nº 1454
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes