A nova geração do familiar da marca de Estugarda estreia um conjunto de soluções tecnológicas e motores. É apresentado hoje no Salão de Detroit.

O novo Mercedes-Benz Classe E cresceu em relação à geração anterior, tendo 4923 mm de comprimento, mais 43 mm, e 2939 mm de distância entre eixos, mais 65 mm. Com um coeficiente aerodinâmico de 0.23, a berlina (ver vídeo) tem a particular aliciante de estrear um conjunto de tecnologias, muitas delas no sentido da condução autónoma. Uma das funções do novo “E” (ver galeria), o Active Lane-change Assistant, permite mudar de faixa sem intervenção do condutor. Outra novidade é o Drive Pilot, um modo de condução autónoma que funciona até 210 km/h, que gere automaticamente a distância para os outros carros e as faixas de rodagem, contudo, apenas em curvas não muito apertadas. Há também a função Speed Limit Pilot, que controla a velocidade do carro em conjugação dos limites de velocidade. Destaque ainda para o sistema de estacionamento remoto e para a possibilidade de utilizar o telemóvel como chave do carro.

No lançamento, em maio, estará disponível apenas numa versão a gasolina, o E 200, com um motor 2.0 quatro cilindros a gasolina, com 184 cv e 300 Nm. Estarão também em tabela os Diesel E 220 d, com um 2.0 a debitar 143 cv e 400 Nm (anunciar consumos de 3,9 l/100 km e emissões de CO2 de 102 g/km), e o E 350 d, com um 3.0 V6 com 258 cv e 620 Nm (que faz 0-100 km/h em 5,9 l/100 km). No topo da gama estará, para já, a versão híbrida plug-in E 350 e, com um total de 279 cv e 600 Nm. Esta versão, que conjuga os préstimos de um bloco 2.0 de quatro cilindros a gasolina com 205 cv e um auxiliar elétrico de 82 cv, possui uma autonomia a rondar os 30 km em modo elétrico e anuncia consumos de 2,1 l/100 km e emissões de CO2 de 49 g/km. Uns meses mais tarde, estão previstas outras versões. Entre elas uma nova versão com 150 cv do 2.0 Diesel de quatro cilindros (que, segundo o Autohoje sabe, terá emissões de CO2 abaixo dos 100 g/km), além de outras versões a gasolina entre 183 e 245 cv, assim como um seis cilindros com 333 cv. Todos os motores funcionarão de série em conjunto com uma caixa automática de nove velocidades 9G-Tronic. A versão base Exclusive inclui a estrela, símbolo da marca de Estugarda, no capot, as versões AMG Line e Avantgarde com estrela na grelha.

O interior é composto, em opção, por dois ecrãs de 12,3 polegadas. Um é o do painel de instrumentos, atrás do volante, que pode ser configurado com os modos Classic, Sport e Progressive. O outro posiciona-se ao centro do habitáculo e permite operar todo o sistema de infotainment. Imediatamente abaixo existem botões de controlo do ar condicionado, por exemplo. Outro detalhe importante são os touch pads posicionados no volante, que funcionam com movimentos verticais e horizontais. Na consola central, há o tradicional touch pad, integrando funções de reconhecimento de escrita e de controlo por voz, e o comando rotativo Comand. Por dentro, o Classe E inclui novos revestimentos a madeira, couro e metal, além de uma luz ambiente com 64 cores e um sistema de som 3D Burmester com 23 altifalantes.

Destaque também para uma nova suspensão pneumática opcional no novo E, com três versões à disposição (uma Comfort, outra Comfort Avantgarde – mais desportiva, rebaixada em 15 mm – e Desportiva, com ajuste adaptativa, também rebaixada em 15 mm. O Dynamic Select permite optar por diferentes configurações do Air Body Control (Comfort, Eco, Sport, Sport + e Individual).

Assine Já

Edição nº 1445
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes