A nova geração do compacto da Mercedes-Benz será maior, terá uma versão híbrida plug-in e no topo da gama um A45 AMG com mais de 400 cv.

A Mercedes-Benz está neste momento a ultimar o desenvolvimento da próxima geração do Classe A (W177) que será mostrada ao grande público na próxima edição do Salão de Genebra, em março. As imagens do novo modelo (onde já é possível ver a nova versão sedan), apanhado sem camuflagem, já circulam pela internet. As fotos publicadas pela Auto Motor und Sport, revista associada do Autohoje, mostram o compacto na sua versão hatchback. O novo modelo será feito com base numa evolução da plataforma de tração dianteira, a MFA2, que lhe permitirá ser cerca de 50 kg mais leve. Essa nova estrutura modular possibilitará ainda que compacto seja 10 mm mais comprido (com mais 2 mm de distância entre eixos), o que conferirá mais espaço no interior, sobretudo nos lugares posteriores. Espera-se ainda que tenha um novo piso e painéis de carroçaria, que lhe permitirão aumentar a sua rigidez, que traga portas traseiras maiores (para facilitar o acesso ao interior) e uma mala maior comparativamente com a atual, a que se juntará uma estrutura de suspensão independente de tipo MacPherson à frente e multibraços no eixo posterior. Graças ao sistema Drive Select será possível optar por quatro modos de condução, que alteração a direção, mapeamento do motor, software da caixa de velocidades e amortecimento.

Uma das prioridades do fabricante alemão incidiu no melhoramento do refinamento do modelo, apostando em melhores materiais, instrumentação digital e num sistema de infotainment com ecrã tátil Comand 5. Existirá um volante com controlos por touchpad, novos bancos desportivos e novos sistemas de assistência à condução, com destaque para um sistema de condução autónoma de nível 2 (já disponível no Classe S).

O novo Classe A contará com novos motores de quatro cilindros Diesel e gasolina, com consumos mais eficientes que os atuais. A gasolina, está previsto que a oferta tenha por base um motor 2.0 com injeção direta e sobrealimentação. Novidade será a versão A250 com cerca de 280 cv. Os Diesel, de origem alemã, terão por base o motor OM654 2.0 de quatro cilindros (já disponível no Classe E) em versões com 150 e 194 cv. Está também prevista uma versão híbrida plug-in (para a submarca EQ), que poderá evoluir de 1.4 de quatro cilindros a gasolina M282 a funcionar em conjunto com um motor elétrico e em associação com uma caixa automática DCT de nove velocidades. Esta versão poderá ter até 100 km de autonomia em modo elétrico. Nas versões mais potentes estarão disponíveis opções de tração integral 4Matic. Para o topo da gama está reservado um AMG A45 com um 2.0 de quatro cilindros turbo a debitar 408 cv, a funcionar com um sistema de tração integral e sistema de 48V. O Classe A contará mais tarde com um turbo elétrico.

Top

Os mais recentes