Três portas, três cilindros, quatro metros de automóvel, 120 cv. Um concentrado de energia, neste novo motor “mil” cheio de genica,  encaixado num utilitário cheio de atitude.

A Hyundai estreia a nova carroçaria de três portas no i20 e chama-lhe, pomposamente, Coupé, como forma de atrair a atenção para uma silhueta que se insinua como num desportivo: tejadilho a descair para trás, pilar C disfarçado na cor da carroçaria e vidro traseiro de dimensão reduzida.

A atitude atrevida do i20 Coupé tem correspondência no motor que recebe: o novo 1.0 Turbo a gasolina. Tem muito nervo e vibra como qualquer três cilindros a gasolina que conhecemos, não estando especialmente bem filtrado para vibrações, mas bem isolado para ruído em excesso. Nada ofusca o desempenho prático deste pequeno “mil”, que às 1500 rpm já descarregou todos os 172 Nm de binário que tem ao seu dispor, proporcionando uma subida de regime com assinalável vigor. Os 120 cv fazem deste i20 Coupé um dos utilitários mais potentes à venda no mercado nacional. No topo da cadeia está o Ford Fiesta com o seu 1.0 Ecoboost de 125 cv, por 18 465€, cujo arranque de 0 a 100 km/h são medidos em 9,4 segundos. De facto, o i20 Coupé 1.0 T-GDI não supera a mesma fasquia e queda-se pelos 10,6 segundos... o que não é nada mau para um “mil”. Não o convence? Pois olhe que um Hyundai i30 com motor 1.6 Diesel de 136 cv faz exatamente 10,66 segundos no mesmo arranque...

O i20 tem uma faixa de rotação utilizável muito boa, pondendo manter-se nas relações altas para rodar descomprometidamente, sem ter que recorrer constantemente à caixa. Afere consumos também muito razoáveis, até tendo em conta que tem, originalmente, jantes de 17 polegadas, mas obviamente que os valores são obtidos nas velocidades controladas. No dia a dia, sem pensar na carteira, dá consigo alegremente a desfrutar de cada um dos 120 cv, a atirar com o i20 de uma curva para outra, e de repente está com uma média acima dos 7,0 l/100: é normal, não se assuste; se quer realmente ser mais económico, acelere menos e desfrute mais.

Mas já que quer andar depressa e nas curvas, note que o i20 Coupé está bem preparado para isso. É essencialmente firme a amortecer, sem ser um duro grotesco, o que significa que se comporta bastante bem para um utilitário. Tem, digamos, um nervo desportivo. Também podia ter uma direção melhor, sobretudo menos vaga nas velocidades mais elevadas, o que se nota especialmente em autoestrada. E, já agora, o preço promocional de 18 633 euros podia manter-se depois da promoção, se não for pedir muito. É que o preço “normal”, de catálogo, está nos 21 483€. Mesmo tendo em conta a quantidade de equipamento que o i20 Coupé possui, isso já é um valor que entra perigosamente no território dos Diesel.

Assine Já

Autohoje nº 1425
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes