O aspeto relativamente discreto não levanta suspeitas que, sob o manto desta “cordeira”, se esconde uma loba de 367 cv e uivo marcante capaz de devorar facilmente um desportivo menos atento que cruze o seu caminho.

Gosto deste tipo de carrinha discreta, mas que esconde algumas surpresas na manga. Uma espécie de lady à mesa e louca na cama. Esta C43 Station preenche estes requisitos na perfeição. Sob as vestes elegantes e relativamente sóbrias de uma carrinha Mercedes Classe C esconde-se um corpo ginasticado e um pulmão de atleta: um V6 soprado por dois turbos, com 367 cv de potência e um tom de voz... viril. Aliás, se há elemento que denuncia as verdadeiras intenções desta carrinha é o som proveniente dos escapes desportivos. Uma espécie de metralhar arrepiante pontuado por uns ratéres que não nos cansamos de repetir. É verdade que pode “silenciá-lo”, mas, a não ser que queira chegar a casa despercebido ou não acordar os miúdos no banco traseiro, não vejo qual é a vantagem de ter um tenor “mudo”.  E a carrinha C 43 não só fogo de vista ou, neste caso, de ouvido. Mérito do sistema de tração integral, a C43 é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,9 segundos, perdendo apenas 0,2 segundos para a potente C 63 S de 510 cv, embora nos 1000 metros a diferença entre ambas seja bem mais dilatada.

A possibilidade de alterar a firmeza da suspensão (três posições) em combinação com os vários modos do Drive Select permitem adaptar a AMG C 43 às necessidades momentâneos de cada utilizador. Mesmo com a suspensão no modo intermédio a carrinha alemã mantém um conforto mais do que aceitável e um controlo eficiente dos movimentos da carroçaria, resultando numa boa opção para uma utilização pontuada por alguns trajetos em autoestrada, por exemplo. Um dado curioso é que apesar do evidente acréscimo de motricidade proporcionado pela tração integral, a C 43 Station não fica menos divertida de conduzir, sendo até invulgarmente ágil de traseira. Um levantar de pé “estratégico” põe a traseira a rodar com relativa facilidade sendo depois possível esmagar o acelerador e dar rédea solta aos 367 cv.

Assine Já

Edição nº 1454
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes